:: DAX Investimentos - Os melhores investimentos - ARTIGO: Fundos DI – A verdade! (2019)


Fundos DI – A verdade! (2019)

Os fundos DI ou Fundos Referenciados DI são fundos pós fixados que investem, no mínimo, 95% do seu patrimônio em Títulos Públicos atrelados à SELIC. Os 5% restantes são aplicados em fundos de curto prazo.

Fundos DI são considerados investimentos bastante seguros, já que não aplicam em ativos de risco, contudo, dificilmente lhe darão boa rentabilidade.

Como investimento no sentido de fazer seu dinheiro crescer, eu não recomendo os fundos DI,  mas prossiga com a leitura,  pois em alguns casos ele pode ser utilizado como reserva de emergência, como explico adiante.

Fundos DI – Por que investir neles?

O investimento em fundos DI pode ser utilizado como investimento alternativo à poupança, pois, dependendo da sua taxa de administração, terá uma rentabilidade muito próxima à ela.

Você pode pensar:

Valter, se ele rende próximo da poupança, qual a razão para investir nele?

O fundo DI tem rentabilidade e liquidez diárias!

Tá, mas o que isso quer dizer?

Aplicando na poupança, seu dinheiro só rende de 30 em 30 dias. Ou seja, se você aplicar o dinheiro hoje e sacar daqui a 20 dias não terá qualquer rentabilidade.

Em relação ao fundo DI, tendo em vista sua rentabilidade diária, se você aplicar hoje e sacar daqui a 7 dias, por exemplo, se dinheiro já terá rendido um pouco.

Dessa forma, alguns fundos DI podem ser utilizados como reserva de emergência ou para aquele dinheiro que você está guardando para usar daqui a pouco.

Por exemplo: se você tem uma quantia de dinheiro que terá que utilizar para pagar um serviço que só terminará daqui a 20 dias, pode ser interessante aplicar em um fundo DI de baixa taxa de administração, pois, quando for a data de pagar o serviço, seu dinheiro já terá rendido um pouco.

Fundos DI

Fundo DI ou Tesouro Selic?

Muitos têm essa dúvida.

Os fundos DI variam de banco para banco, possuindo diversas taxas de administração, portanto, não há como ter uma resposta pronta.

Lembrando que aqui estou partindo do princípio que você está utilizando ambos os investimentos como reserva de emergência. Nesse caso, a comodidade e rapidez para aplicação e resgate são quase tão importantes quanto a rentabilidade.

Um DI de taxa de administração baixa terá rentabilidade será muito próxima do Tesouro Selic.

Uma vantagem do fundo DI é que você investe no próprio banco, portanto, pode aplicar e resgatar “na hora”. Ou seja, se você possui dinheiro em fundo DI e precisar dele agora, basta entrar na sua conta e resgatar.

Em relação ao Tesouro Selic não é assim. O  dinheiro está aplicado no Tesouro, dessa forma, levará um tempo para o mesmo ir da sua conta para o tesouro e do tesouro para a sua conta.

Taxa de Administração dos fundos referenciados DI

Uma variável que deve ler levada em consideração quando se pretende investir neste tipo de fundo é a taxa de administração. Quanto maior for a taxa, menor o rendimento líquido. As taxas variam de fundo para fundo e de banco para banco.

A taxa é descontada da rentabilidade. Dessa forma, não há rentabilidade negativa (prejuízo), portanto, quanto menor a taxa, maior sua rentabilidade.

A título de exemplo, no momento que escrevo este artigo, o BB Referenciado DI LP 50 mil (investimento mínimo de 50 mil reais) tem taxa de administração de 1%, enquanto no BB Referenciado DI Social 50 (investimento mínimo de 50 reais) a taxa é de 2,6%.

Normalmente ocorre assim, quanto maior o investimento inicial exigido, menor a taxa de administração e, consequentemente maior a rentabilidade líquida.

Imposto de Renda e IOF dos fundos referenciados DI

Tanto o Imposto de Renda – IR como o IOF são regressivos, ou seja, diminuem com o passar do tempo.

Quanto ao IOF, diferentemente do IR, só há cobrança caso seja realizado resgate antes de 30 dias da aplicação. Após esse prazo, o IOF não é mais cobrado.

O imposto de renda regressivo é calculado sobre o lucro da seguinte forma:

  • Até 180 dias: 22,5%
  • De 181 a 360 dias: 20%
  • De 361 até 720 dias: 17,5%
  • A partir de 721 dias: 15%

Os impostos também são cobrados sobre a rentabilidade.

Há também outro tributo chamado come-cotas, que seria como um “adiantamento” do Imposto de Renda. A cobrança é feita duas vezes por ano: a primeira em maio e a segunda em novembro. No come-cotas são cobrados 15% de impostos em cima da rentabilidade do período, sendo deduzidos da sua aplicação no formato de cotas.

  • Então Valter, vou pagar o imposto duas vezes?

Não. No resgate o investidor pagará somente a diferença entre o IR devido e o já pago na forma de come-cotas.

Fundo DI vale a pena?

Como expliquei antes, se for como forma de guardar dinheiro para usar em pouco tempo ou como reserva de emergência determinados fundos DI podem sim valerem a pena.

Contudo, como investimento no sentido de fazer seu dinheiro crescer, não.

Investimentos devem ser feitos pensando no longo prazo. Investir para resgatar daqui a alguns meses não é investimento, é guardar dinheiro.

Como investimento existem outras opções bem melhores. Uma que sempre recomendo são os fundos imobiliários.

Por fim, espero, com este rápido artigo, ter esclarecido o que são Fundos DI.

 

LEITORES DO DAX INVESTIMENTOS
Preencha seu e-mail e receba meus artigos gratuitamente!
Garantimos sua privacidade. Não divulgamos seu e-mail!

4 comentários

  1. Tudo bom, Valter?!
    Excelente explicação. Parabéns pelos artigos!!!
    Só uma dúvida?
    Tenho um valor X aplicado no renda fixa 500 do BB há aproximadamente 1 ano e meio, com taxa de administração de 2% a.a. Diante do atual cenário econômico, com previsão da CDI de 13,63 (ano de 2017), vale a pena migrar para um LCI, CDB ou até mesmo para o Tesouro direto da mesma instiruição? Devo consultar uma corretora independente?

    Agradeço

    Abraços

  2. Boa noite. Otima explicação. Fundo DI social 50 vale a pena?