Tesouro Direto Caixa Econômica – CEF – Como funciona

Investimento que se popularizou bastante nos últimos anos, vou dedicar o presente artigo para falar do investimento no Tesouro Direto por meio da Caixa Econômica – CEF.

Os títulos do tesouro nacional são como títulos de bancos, com a diferença de que pertencem ao governo e não a instituições financeiras. Quando você investe é como se você emprestasse dinheiro a uma instituição. Nos títulos privados, você empresta aos bancos e, nos títulos públicos, você empresta ao governo.

O investimento no Tesouro Direto é considerado o mais seguro de uma economia, principalmente quando realizado por meio de um grande banco, como a Caixa Econômica – CEF, por exemplo.

Tesouro Direto – Caixa Econômica – CEF – como funciona?

Tesouro Direto Caixa Econômica - CEF

O investimento mínimo no Tesouro Direto é de R$ 30,00, não importa o banco ou corretora no qual você invista.

Você compra títulos inteiros ou frações de 0,01 (1%) do valor do título, desde que observado o limite mínimo de investimento. Portanto, se um título custa R$ 1000,00, sua fração mínima é de R$ 10,00 (1%), de forma que, acima de R$ 30,00, você pode comprar quantas frações de R$ 10,00 quiser, ou seja, R$40,00; R$50,00; etc.

Para investir no Tesouro Direto, você não pode simplesmente entrar no site, criar uma conta e começar a investir. Para passar a investir em títulos públicos você tem que fazer o procedimento utilizando uma corretora ou um banco, como a Caixa Econômica – CEF.

Alguns bancos e corretoras cobram taxa de administração, outros não. Quanto maior a taxa, menor será sua rentabilidade, em razão disso, dê preferência a um banco ou corretora que tenha taxa zero. Para ver as condições atuais para investir no Tesouro Direto utilizando a Caixa Econômica – CEF, clique aqui.

Assim, você pode realizar seus investimentos utilizando a Caixa Econômica – CEF, outro banco ou uma corretora. Não há diferença, os títulos disponíveis para investimento são os mesmos. A rentabilidade que você obterá com os títulos também são as mesmas, a única diferença será a taxa de administração cobrada pelo banco ou pela corretora.

Cada tipo de título tem um prazo e forma de rentabilidade diferentes, você deve escolher o que melhor se adapta à suas necessidades.

Quanto ao Tesouro Direto, algumas pessoas acham que é só “colocar o dinheiro lá”. O Tesouro é uma das aplicações mais rentáveis e seguranças do momento, contudo, com a estratégia correta, é possível obter rentabilidades bem acima das “comuns” do mercado. Por essa razão recomendo o curso Tesouro Direto Descomplicado do Rafael Seabra. Trata-se de um material muito completo e de extrema qualidade.

Você viu, neste artigo, informações sobre o Tesouro Direto – Caixa Econômica – CEF.

Wordpress SEO Plugin by SEOPressor