:: DAX Investimentos - Os melhores investimentos - ARTIGO: Fundos de Ações – Aprenda a investir


Fundos de Ações – Aprenda a investir

Vou falar hoje do meu investimento preferido em renda variável: fundos de ações. Este post conterá dados técnicos sobre tal tipo de investimento e, também, opiniões pessoais sobre o mesmo.

Antes de adentrar à minha visão pessoal sobre tal tipo de investimento, vou abordar os dados técnicos de tais fundos.

Fundos de Investimento

Fundos de investimentos são como condomínios que reúnem recursos de vários investidores para, utilizando esse maior capital, obter maiores rentabilidades e menores taxas em diversas aplicações.

O patrimônio do fundo é dividido em cotas, de forma que quem aplica no mesmo é chamado de cotista. Ao adquirir cotas de determinado fundo de investimento, o cotista está aderindo e concordando com suas regras de administração e passa a ter os mesmos direitos do demais cotistas, independente da quantidade de cotas que possua.

Em termos bem simples, um fundo de investimentos é o conjunto de recursos de vários investidores, gerenciado por um administrador, para realização de investimentos determinados em regulamento.

Tipos de Fundos

Como você viu, um fundo de investimento é a reunião de recursos de vários investidores para aplicação em determinados investimentos. O administrador do fundo não pode aplicar os recursos de maneira aleatória, cada tipo de fundo aplica em investimentos específicos, de acordo com sua natureza.

De acordo com a ANBIMA, os fundos de investimentos são classificados em: Renda fixa, multimercado, ações e cambial.

Neste post falarei apenas sobre os fundos de ações.

Fundos de ações

Neste tipo de fundo, como o nome deixa claro, o foco do administrador é no investimento em ações. Para se enquadrar nessa categoria, pelo menos 67% do patrimônio do fundo deve estar investido em ações.

Patrimônio do fundo

Como disse no início, o patrimônio de um fundo de investimento é constituído como uma espécie de condomínio e esse capital é divido em cotas.

O patrimônio líquido do fundo é composto por todos os seus investimentos mais o que esse tiver em caixa; subtraídas suas obrigações, inclusive as referentes à sua administração.

Vamos a um exemplo para melhor entendimento:

O banco X criou o fundo de investimento “XXO” e o mesmo tem um patrimônio de R$10,00 e 10 cotas. Ou seja, cada cota do fundo custa R$ 1,00 (10/10);

Um novo investidor aplica R$ 5,00 no referido fundo. Como cada cota custa R$ 1,00, este investidor adquiriu 5 cotas.

Agora, o fundo possui um patrimônio de R$ 15,00 e 15 cotas (10 iniciais mais 5 investidas). Logicamente, valendo os mesmos R$ 1,00 cada cota (15/15).

Digamos que os investimentos do referido fundo tenham se valorizado em 10%. Agora o patrimônio do fundo passou a ser de R$ 16,50 (R$15,00+10%). Como o fundo possui 15 cotas, cada cota agora vale R$ 1,10 (R$16,50/15).

No caso do novo investidor, como ele adquiriu 5 cotas, com as cotas valendo R$ 1,10, agora ele possui um patrimônio investido de R$ 5,50 (5 x 1,10).

Ressalto que o valor das cotas do fundo variam diariamente, de acordo com a valorização ou desvalorização de seu patrimônio.

Logicamente, os cálculos feitos aqui não incluem taxas e impostos. Utilizei de maneira simples apenas para que você entenda que, aplicando em um fundo de investimento, você adquire cotas do referido fundo. Se o patrimônio do fundo se valorizar, as cotas também se valorizam, pois o valor da cota é o patrimônio do fundo dividido pelo número de cotas.

Risco

Como disse, fundos de ações aplicam pelo menos 67% do seu capital em ações. Dessa forma, sendo de rentabilidade variável, esse tipo de investimento é considerado de alto risco, pois, como é sabido, os valores das ações tanto podem sofrer grande valorização como grande desvalorização. Esse é o risco de mercado. Além desse, há ainda o risco de liquidez.

O risco de liquidez refere à eventual dificuldade que o administrador possa encontrar na venda dos ativos que compõem o fundo, o que impossibilita a conversão do patrimônio em dinheiro, resultando na impossibilidade de conversão das cotas em dinheiro.

Visando minimizar tais riscos, adaptei uma estratégia do “mundo das ações” aos fundos de ações, bem como criei outros mecanismo de proteção. Com essa estratégia reduzo os riscos drasticamente e praticamente asseguro rentabilidade. Mais adiante falarei sobre ela.

Taxas e impostos

Os fundos de investimento são gerenciados por um administrador. Evidentemente, esse não faria a tarefa de administração do patrimônio de maneira gratuita.  Em razão disso, existe uma taxa de administração.

Alguns fundos cobram, também, uma taxa de performance sobre os resultados alcançados. Contudo, vários fundos não possuem essa taxa. Na minha estratégia dou preferência aos fundos que não a possuem, mais a frente você vai entender a razão.

Quanto a impostos, há incidência de uma alíquota fixa de 15% de Imposto de Renda  sobre o rendimento bruto do fundo, cobrado quando você realiza o resgate de suas cotas, independente do prazo.

Fundos de ações pagam dividendos?

Fundos de ações investem seu patrimônio em diversos ativos. Dentre eles, podem existir ações de empresas que paguem dividendos. Nesse caso, os dividendos recebidos pelo fundo serão adicionados ao patrimônio do mesmo, como o patrimônio ficará maior, o valor da cota se valorizará, aumentando a rentabilidade dos investidores.

Para deixar claro, os dividendos são apenas acrescidos ao patrimônio do fundo, valorizando a cota, não haverá deposito de “dividendos” diretamente em sua conta. O dividendo será “embutido” no valor da cota.

Analisando um fundo de investimento

Penso que exemplos reais deixam a teoria bem mais clara não é mesmo? Vou analisar aqui um fundo de investimento específico para melhor entendimento.

Vou analisar o fundo: BB ações VALE 

Este fundo é do tipo “Mono Ação”. Ou seja, aplica seu patrimônio prioritariamente em ações de uma só empresa, no caso, a VALE.

Dessa forma, como a maior parte do  patrimônio do fundo está investida em ações da VALE, à medida que tais ações se valorizem, o patrimônio do fundo cresce, valorizando-se, também, as cotas do mesmo.  Quanto maior a valorização das cotas, maior a rentabilidade para o investidor. Logicamente, havendo desvalorização das ações da VALE, ocorre o efeito oposto.

O valor das cotas é definido diariamente pelo administrador fundo, após o fechamento do mercado.  Assim, se as ações da VALE tiverem se valorizado no dia, o valor da cota tenderá a valorizar-se de maneira semelhante naquele dia.

Variáveis técnicas

O investimento mínimo do fundo BB Ações VALE é de apenas R$ 200,00.

Tanto aplicação como resgate funcionam no sistema D+1 (dia + 1 dia). Ou seja, se eu faço uma aplicação no dia 01/01, esta aplicação será efetivada com o valor da cota do dia 02/01. Assim, qualquer ordem  de aplicação ou de resgate é sempre efetivada com o valor da cota do dia seguinte.

Além disso, atente-se para o fato de que o mercado só funciona em dias úteis e, nesse fundo, o horário limite para movimentações é até as 17:00 (horário de Brasília). Dessa forma, se quero que minha aplicação seja efetivada com o valor da cota de amanhã, tenho que fazer a aplicação até às 17:00 de hoje.

Vamos a um exemplo:

Digamos que no dia 19/05/2016, antes das 17:00, um investidor tenha aplicado R$ 200,00 no fundo BB Ações Vale. Nesse dia, as cotas estavam a um valor de 4,231154906.

Como o fundo funciona no sistema D+1, a aplicação concretiza-se com o valor da cota do dia útil seguinte, no caso, dia 20/05/2016. Nesse dia, a cota ficou no valor de 4,031041959, sendo, então, esse o valor de compra para o investidor.

Nesse exemplo, sempre que a cota do referido fundo estiver maior que 4,031041959, o investidor estará em situação de lucro.

Taxas

Esse fundo não cobra taxa de performance nem de taxa saída.

A taxa de administração é de 2% ao ano. Importante frisar que tal taxa já está “embutida” no valor das cotas, de forma que você não precisará pagar qualquer taxa quando for aplicar ou resgatar suas cotas.

Como recebo meus resgates?

Como já esclareci, tanto aplicação como resgates funcionam no sistema D+1. Dessa forma, caso eu dê uma ordem de resgate hoje até as 17:00, tal resgate será efetivado com o valor da cota de amanha, caso seja dia útil.

Efetivado o resgate, o dinheiro estará disponível em sua conta corrente em quatro dias, pois o resgate é no sistema D+4.

Para ficar claro, o valor de resgate da cota é o do dia seguinte (D+1), o que acontece no D+4 é o depósito do dinheiro em sua conta corrente.

Variação das cotas

No caso do fundo BB Ações Vale, as cotas variam de maneira semelhante às ações da empresa Vale, já que o fundo investe prioritariamente em tais ações. É determinado um valor diário para a cota, após o fechamento do mercado, ou seja, a cota terá um valor diferente no dia 01, 02 e assim por diante.

Veja uma imagem com a variação diária das cotas durante um pequeno período:

Fundos de ações

Como se vê, nesse caso, as cotas estavam em uma tendência de alta, já que no dia 01/04/2016 custavam 4,355787810 e, no dia 20/04/2016 estavam em 6,114951568.

Valores estranhos? Não, eles estão expressos em reais, apenas possuem mais casas decimais após a vírgula. Dessa forma, a cota do dia 20/04/2016, arredondando-se, estava no valor de R$ 6,11.

Nesse período, quem aplicou com a cota do dia 1º e resgatou com a cota do dia 20 teve uma lucratividade bruta de 40,38% em apenas 19 dias.

Assim, se você tivesse aplicado R$ 10.000,00 no dia 01, resgataria R$ 14.038,00. Um lucro bruto de R$ 4038,00.

Desse valor descontamos 15% de IR, o que daria uma rentabilidade líquida de R$ 3432,30 ou 34,32% em apenas 19 dias.

Bom, não é mesmo?

Logicamente, assim como há períodos de alta, há períodos de perda. É renda variável colegas, não há garantias.

Por que eu prefiro fundos de ações a ações diretas?

Vou ser bem direto aqui. As possibilidades tanto de ganhos como de perdas com fundos de ações e ações diretas são exatamente as mesmas. Ações variam para cima e para baixo; cotas de fundos variam para cima e para baixo.

Tanto para ações como para fundos de ações, muitos especialistas dizem que são investimentos adequados para longo prazo, aproveitando uma eventual valorização da empresa ou melhora nas condições de mercado.

Evidentemente não discordo desse ponto de vista, mas minha estratégia é focada no curto prazo. Eu aproveito as variações para cima e para baixo para obter altas rentabilidades em um curto espaço de tempo.

Poderia fazer isso investindo diretamente em ações? Lógico que sim. Contudo, o investimento em fundos é muito mais simples.

Em condições normais, em fundos de ações, eu invisto o quanto quiser e resgato o quanto quiser a hora que quiser. Não dependo de ter alguém vendendo ações ou comprando ações naquele momento.  Ou seja, se quero aplicar R$ 200 reais posso aplicar, independente de qualquer coisa. Não preciso calcular e comprar lotes inteiros ou fracionados de ações, apenas invisto o valor que desejar.

Na hora de resgatar é a mesma coisa. Basta dar a ordem de resgate do valor que eu quiser. Não dependo de vender ações.

No caso dos fundos de ações do Banco do Brasil, o processo de aplicação e resgate são bastante simples, quase como colocar e tirar dinheiro da poupança. Dá para se fazer tanto pela internet como pelos caixas eletrônicos. Você entra no menu investimentos, escolhe o fundo, o valor que deseja aplicar e pronto. No dia seguinte efetiva-se sua aplicação, sem qualquer “porém”.

Dessa forma, como a possibilidade de ganho é igual e a facilidade de “gerenciamento” é maior, eu prefiro o investimento em fundos de ações do que diretamente em ações.

Lembrando, é um ponto de vista totalmente pessoal, quando explicar minha estratégia vocês vão entender melhor.

Como reduzir os riscos?

Mais no início do post falei sobre os riscos de se investir em fundos de ações. Aqui vou falar sobre como reduzir esses riscos.

1º Invista em grandes bancos

Quem me acompanha sabe que, quando falo de investimentos em renda fixa como LCI, LCA e CDBs sempre afirmo que em bancos menores encontraremos melhores rentabilidades.

Nos fundos de ações, contudo, indico o contrário. Aqui a rentabilidade não depende do tamanho do banco, mas sim da variação positiva do patrimônio e, consequentemente, das cotas do fundo.

Visando reduzir o risco de liquidez, invisto somente em fundos administrados por grandes bancos. Devido à grande quantidade de investimentos que esses bancos (e seus fundos) recebem, é praticamente impossível o fundo não possuir patrimônio para pagar um resgate solicitado por um simples mortal como eu.

Dessa forma, para que a estratégia que ensino seja válida, recomendo que invista em fundos administrados por grandes bancos.

2º Tenha uma estratégia para aplicação e resgate

Basicamente, você pode investir de duas maneiras: a longo prazo e a curto prazo.

A longo prazo, você acredita que as ações de determinada empresa, área ou setor irão se valorizar. Além disso, você acredita que o administrador do fundo irá geri-lo com “maestria”, conseguindo as melhores rentabilidades. Comprando cotas de um fundo agora, caso as ações realmente se valorizem, o patrimônio do fundo também crescerá. Nesse caso, você terá boa rentabilidade com o passar dos anos.

Utilizando-se essa estratégia, você não tem necessidade de ficar acompanhando a variação das cotas dia a dia, já que você terá investido acreditando que, no futuro (em anos), as cotas do fundo terão se valorizado consideravelmente. Vendo dessa forma, as pequenas variações e desvalorizações diárias são irrelevantes.

Muita gente investe assim, mas essa não é minha estratégia.

Eu invisto visando obter rentabilidades altas no curto prazo. Como faço isso? Aplico com uma cota no valor X e resgato logo que a cota se valorize a um padrão que julgo considerável. Usando um exemplo exagerado, caso eu aplique hoje com uma cota no valor de R$ 1,00 e semana que vem ela estiver a R$ 1,50 e já resgataria, realizando o lucro.

É a velha estratégia de comprar em baixa e vender em alta.

  • Certo Valter, você é dos gurus que advinham as quedas e altas do mercado?

Não!

Sempre compro em baixa e vendo em alta, mas minha estratégia não é baseada em adivinhações ou previsões. Aliás, não tenho qualquer inclinação a ser profeta 🙂 .

Como faço, então?

Estou postando uma série de posts com meus aportes pessoais em fundos de ações. Neles minha estratégia ficará um pouco mais clara. Os posts estão nesta categoria: Fundos de Ações – Aportes Pessoais.

Abraços e até lá.

LEITORES DO DAX INVESTIMENTOS
Preencha seu e-mail e receba meus artigos gratuitamente!
Garantimos sua privacidade. Não divulgamos seu e-mail!

Leia também:

COE - Certificado de Operações Estruturadas

COE – Certificado de Operações Estruturadas

O COE – Certificado de Operações Estruturadas é um investimento que, embora seja uma ótima …

37 comentários

  1. janilton jose de oliveira

    Excelente matéria! Explicada de forma objetiva e clara! Parabéns!!!! Só falta a estratégia!!!!! hehehehehehe. Um forte abraço.

  2. Valter, você, de fato, é um profissional que entende o que faz. A sua didática comprova isso. Quando realmente dominamos algo, conseguimos ensiná-la de maneira… SIMPLES. Parabéns.

    Obrigado pela excelente explicação sobre os fundos de ações.

  3. Valter, muito bom o conhecimento que estou adquirindo na leitura do seu blog. Um dúvida: Além dos 15% de IR os resgastes de fundo de ações com menos de 30 dias pagam IOF certo ?

  4. Legal! Pelo que entendi, não tem que preencher home broker.

  5. Obrigada Valter por sua atenção. Aproveito para te parabenizar por seus artigos tão esclarecedores. Tenho uma dúvida. Você olha o preço da ação ou da cota para investir?
    obrigada

  6. Muito bom o artigo Valter! Encontrei nos fundos de ações uma ótima alternativa ao tesouro direto, não pago mais taxas com TED e nem cesta no banco. A melhor parte é que não preciso entrar diretamente no mercado de ações e ter que sentir o desprazer de ver os meus pequeninos aportes mensais serem diluidos em corretagem e taxa de custódia. A desvantagem é o resgate em D+1, tomo alguns sustos de vez em quando rsrsrs.

  7. Daniel Cristiano Ferrari

    Bom dia Valter,
    Primeiramente, quero agradecer pela sua iniciativa e disponibilidade em compartilhar seus conhecimentos sobre fundos de ações. Eu já investi neste tipo de fundo pelo Banco do Brasil (na época era Banco BESC).
    Sempre tinha auxílio do gerente do banco que era meu vizinho e amigo da família, então conversávamos direto sobre as entradas e retiradas de de dinheiro nesse tipo de fundo, uma vez que ele também aplicava. Porém como ele foi transferido, perdi a consultoria, digamos assim. Então queria perguntar a você, existe algum curso específico sobre investimento em fundo de ações? Você conhece e recomendaria algum? Pergunto isso porque tenho pesquisado muito e não tenho encontrado nenhum curso na internet.
    Obrigado.

  8. Daniel Cristiano Ferrari

    Boa tarde Valter,

    Gostaria de saber se você já tem uma data prevista para lançar o 4º vídeo da série sobre investimento em fundos de ações? estou bastante ansioso pelo conteúdo. Agradeço pela sua disponibilidade e generosidade em dividir seu conhecimento através deste site. Desejo um próspero ano novo a você, um abraço.

  9. Valter, boa noite!
    Acabei encontrando o seu site, pois estava pesquisando sobre “maneiras de investimentos” e li alguns artigos seus.
    Primeiramente quero lhe parabenizar pela forma que explica, posso testemunhar que tive um bom entendimento nas primeiras leituras, diferentes de alguns vídeos e matérias que li e assisti.
    Vou continuar estudando no seu site, pois aqui encontrei uma forma de explicação bem simples e muito bem colocada….-
    Particularmente eu sou bem ignorante no tocante à fundos de investimentos, bolsa de valores, etc…
    A sua forma de explicar é como se fossemos uma “criança” que não sabemos ainda falar e entender e de forma bem explicativa, nos mostra “tim tim por tim tim… e tudo fica bem mais claro.

    Continue assim e obrigado!
    abs
    Wlad

  10. Boa tarde Valter ! Primeiro parabens pelas postagens !…. Me tira uma duvida por gentileza, há poucos dias fiz um investimento no fundo ações de energia do BB. Como funciona a rentabilidade deste fundo? Ela é diaria de acordo com a variação das ações na bolsa (açoes que compoem a carteira do fundo), ou é um rendimento fixo mensal? Att. obrigado !

  11. Valter, boa tarde, tudo bem?
    Estou completamente interessado em investir neste fundo de investimentos, porém não tenho conta no banco do Brasil.
    Sabe de alguma corretora que consigo efetuar a compra deste fundo?
    Pois pelo home broker do banco Itaú não tenho acesso para comprar cotas deste fundo.
    Obrigado.

  12. Excelente post, fiquei ate mais confiante, pois investimos de forma muito parecida. Muito obrigado pelas dicas, sucesso

  13. Valter, bom dia. Vc teria algum video dando dicas sobre fundo de acoes?

  14. olá valter, parabens pela materia,gostei muito, estou querendo investir em açoes de energia, gostaria de saber qual o prazo minimo para resgate, e como acompanhar as variações destas ações?

  15. Esse blog é maravilhoso é esclarecedor.