:: DAX Investimentos - Os melhores investimentos - ARTIGO: 3º Episódio – aportes pessoais em fundos de ações


3º Episódio – aportes pessoais em fundos de ações

Olá pessoal, demorou mas concluí o 3º episódio dos meus aportes pessoais em fundos de ações.

Na verdade este post está sendo publicado com os resultados “atrasados”, pois já faz algum tempo que fiz o resgate, mas não tinha conseguido postar.

Para ler o post no qual explico o que são e como funcionam os fundos de ações: clique aqui.

Sempre lembrando, por razões evidentes, não exponho os valores efetivamente investidos, mas diretamente proporcionais aos que investi na realidade. As datas de aplicação e resgate são as reais, assim como o valor das cotas.

O que apresentarei aqui é o resultado da aplicação que falei no segundo post da série.

Naquele momento, havia realizado uma ordem de aplicação no Fundo BB Ações Petrobras no dia 04/08/2016, portanto, a efetivação deu-se com a cota do dia 05/08/2016, já que o fundo é D+1. As cotas daquele dia ficaram em R$ 3,707999000. Como eu havia aplicado R$ 681,30 (valores proporcionais aos reais), adquiri 183,7379136.

6ª Fase (novo resgate)

Conforme você pode verificar neste link, as cotas se valorizaram.

Realizei o resgate no dia 09/09/2016. O valor da cota de resgate foi o do dia útil seguinte, no caso,  12/09/2016, que ficaram em R$ 4,457432. Como eu possuía 183,7379136 cotas, o total bruto do resgate foi de R$ 818,99.

A rentabilidade bruta foi de R$ 137,69 (818,99-681,30). Disso deduz-se 15% de IR, ou seja, R$ 20,65. Rentabilidade líquida de R$ 117,04, somando um total de R$ 798,34 (681,30+137,69).

Para calcular a rentabilidade percentual, usa-se a fórmula:( (valor futuro/valor inicial) -1)*100 => ((798,34/681,30)-1)*100 => 17,17% de rentabilidade líquida em 36 dias corridos.

7ª Fase (nova aplicação)

Após realizar o lucro da aplicação anterior, fiz minha redistribuição patrimonial e apliquei novamente no BB Ações Petrobras no dia 19/09/2016. A cota de efetivação foi a do dia 20/09/2016, sendo que, naquele dia, a cota fechou em R$ 4,222235000. Apliquei R$ 1.200,00 (proporcional ao real), tendo adquirido, portanto, 284,20966 cotas.

As ações da empresa Petrobras estão em claro viés de alta, vou analisar o comportamento nos dias seguintes para realizar o resgate ou não.

8ª Fase (novo resgate) – atualizado em 04/11/2016

Na data de 03/11/2016 realizei o resgate da aplicação anterior. O resgate foi efetivado com a cota do dia 04/11/2016, que ficou no valor de 4,852425000.

O valor do meu resgate bruto foi de R$ 1379,10. Como eu havia aplicado R$ 1200,00, a rentabilidade bruta foi de R$ 179,10. Desse valor, deduz-se 15% de IR, gerando uma rentabilidade líquida de R$ 152,24.

Meu resgate líquido foi de R$ 1352,24, o que equivale a uma rentabilidade líquida de 12,68% em 45 dias.

Primeira explicação da estratégia

Muitos me perguntam a razão que justifica minha estratégia de aplicar, obter rentabilidade, e resgatar.

Alguns perguntam: não seria melhor deixar o dinheiro simplesmente aplicado, já que as cotas estão subindo?

O primeiro ponto é que, infelizmente, não possuo o dom de prever o futuro 🙂 , de maneira que não tenho como saber até que ponto certa ação vai subir. Logicamente, faço uma análise do potencial de valorização, mas o resultado, por mais completo que seja, trata-se apenas de um prognóstico, nunca de uma certeza.

Além disso, meus investimentos em fundos de ações fazem parte de uma estratégia maior, ou seja, não são investimentos isolados.

A primeira coisa que você deve aprender caso esteja querendo utilizar minha estratégia é: nunca, jamais, de maneira alguma invista todo o seu dinheiro em fundos de ações.

Em um material que vou publicar ainda este ano vou explicar mais detalhadamente. De início, o que posso dizer, é que meus investimentos em fundos de ações são feitos “em conjunto” com uma aplicação em renda fixa. X% em fundos de ações e Y% em renda fixa.

Quando realizo o resgate dos fundos de ações, refaço a divisão reinvestindo parte em fundos de ações e o residual mando para a renda fixa, garantindo parte da lucratividade que tive.

Usando essa estratégia da maneira correta, à medida que você faz mais aplicações e mais resgates, o dinheiro reinvestido é cada vez maior e o risco do investimento diminui.

  • Como assim o risco diminui Valter?

Faço o investimento se auto-alimentar de tal forma que, após a fase inicial, invisto em fundos de ações somente os juros gerados pelo próprio investimento, ou seja, não será mais meu capital aplicado inicialmente.

Nesse caso, o risco da carteira estará bem baixo, já que meu capital inicial estará inteiramente investido em renda fixa, rendendo menos juros, mas de maneira segura. O que estará investido nos fundos de ações serão os juros anteriores gerados pelo próprio investimento. Isso segue gerando mais juros tanto para mim quanto para o próprio investimento.

Estou elaborando um material no qual explicarei detalhadamente essa estratégia, com um passo a passo. Quando terminar avisarei a vocês.

Quem já faz parte da minha lista de e-mail ficará sabendo em primeira mão. Quem ainda não faz, basta inscrever-se no formulário abaixo.

Abraços e até o próximo post.

 

 

LEITORES DO DAX INVESTIMENTOS
Preencha seu e-mail e receba meus artigos gratuitamente!
Garantimos sua privacidade. Não divulgamos seu e-mail!

49 comentários

  1. Valeu Valter, bastante esclarecedor, pretendo usar estratégia bem semelhante à sua, a minha linha de raciocínio foi bem próximo da exposta por você. Parabéns pelo blog. Continuarei aqui acompanhando suas dicas. Abraço!

  2. Parabéns pelo Post. Informações muito úteis.

  3. valter bom dia, gostei da sua estrategia so me esclareça algumas coisas tipo vc investe novamente apenas os juros que ganhou na aplicação e a parte que vc aplicou vc investe em renda fixa ? não seria interessante investir os juros em renda fixa e reaplicar o capital novamente gerando renda extra com os juros?
    outro fator vc disse que aplica usando o Banco do brasil, no caso o BB n cobra taxa de custodia ou custos para investir nesses fundos? vc poderia explicar em um post como vc faz essas aplicações e quais as taxas fora o IR?

    • Não há taxas “extras” como custódia e corretagem. Essas taxas são aplicadas para quem investe diretamente em ações. Esse é um dos motivos que me faz preferir fundos de ações. Nesses fundos que comentei nos posts a única taxa é a de administração, mas essa está incluída no valor das cotas. Ou seja, se o valor da cota é de R$ 4,50, por exemplo, a taxa de administração já está “dentro” desse preço, você não paga nenhuma taxa separadamente. Por isso utilizo fundos de ações, e não ações diretas, nessa estratégia. O investimento é mais simples e não tenho que me preocupar com taxas extras, apenas com a variação do valor das cotas. O próprio IR é descontado pelo próprio banco no momento do resgate. Não invisto apenas os juros, trata-se de uma redistribuição matemática que, após várias aplicações, faz com que você não esteja mais a investir seu dinheiro, mas apenas os juros. No início sim, você reinveste parte do seu capital. Como é necessária uma explicação mais profunda, com detalhes e, principalmente, exemplos, estou preparando um material completo no qual explicarei passo a passo a estratégia e mostrarei, gravando a tela do meu PC, como realizo as aplicações e resgates. Abraço.

  4. Valter,
    Estou gostando muito dessa série de postagens sobre fundos de ações, também aplico parte dos meus rendimentos nestes fundos. Você pretende disponibilizar de alguma forma o Script (Programa) que está desenvolvendo para análise dos fundos?
    Atualmente vou investindo no “olho” com auxilio de uma planilha bem simples para análise, mas como este ano quase todas ações estão em alta, não estamos passando por dificuldades. Mas isso pode mudar, e estou ansioso por algo analítico para auxiliar as decisões.
    Obrigado!

    • Olá Ivan. Pretendo disponibilizar o sistema, mas não tenho ainda a previsão de quando ficará pronto. Quanto à análise das ações, há alguns locais que publicam avaliações bem confiáveis. No material que estou preparando mostrarei quais uso. Abraço.

      • Olá Valter,

        Sim acompanho também avaliações e gráficos dos papeis investidos.
        Essa semana tivemos fortes quedas nas ações, inclusive PETR3 e 4 que são as investidas pelo fundo BB ações Petrobras. Você costuma “stopar” de que forma seus investimentos?
        Porque como os fundos são D+1, não temos certeza de quanto será o valor de venda on time.
        Abraço!

        • Olá Ivan, realmente os fundos D+1 tem esse “risco” extra. Tenho uma estratégia para redução de tal risco. Estou desenvolvendo um material em vídeo no qual explicarei a estratégia completa. Abraço.

  5. Prezado Sr. Valter, bom dia. Tenho uma dúvida. Como você faz para escolher o fundo de ação no Banco do Brasil a investir. Você consulta algum site ou sites que faça análise fundamentalista do fundo?

  6. caro valter tenho aplicado em fundos de investimento do banco do brasil visando um longo prazo, de 10 a 12 anos, aplico em vários fundos, vale, petro, energia, dividendos, não me preocupo com as alterações diárias ou mensais, aplico pequenos valores mensalmente, tenho também outras aplicações, mas, visando aposentadoria acha que a manutenção destas aplicações valem a pena…..

    • Olá Marcos, Brasil é um país de economia bem instável em alguns momentos, isso torna os investimentos a longo prazo um pouco imprevisíveis. Em países como os EUA, por exemplo, se você investe em ações (ou fundos) de uma boa empresa, com o passar dos anos, a valorização é quase que natural. Aqui no Brasil isso muitas vezes não acontece. Há várias pessoas que utilizam a mesma estratégia que você, alguns conseguem boa rentabilidade, outros não. Eu pessoalmente prefiro utilizar os fundos de ações no curto prazo repassando parte da rentabilidade obtida para investimentos em renda fixa, esses sim, pensando no longo prazo. Mas não critico quem utiliza a mesma estratégia que você, é tudo questão de ponto de vista. Abraço.

  7. Caro Valter, parabéns pela didática e pela clareza das informações. Porém, ainda não entendi bem a questão da taxa de adm. Vc disse que ela já está embutida no valor da cota, mas refiz todos os cálculos que vc apresentou nos episódios 1,2 e 3 e, pelos valores mostrados, vc não teria pago a taxa de adm em nenhuma ocasião. Ou seja, se na compra saiu R$ 1.200,00 da sua conta e no resgate entrou R$ 1.352,24, a única coisa que vc pagou foi o IR de R$ 26,87. Não entendo como foi cobrada a taxa de adm. Foram esses os valores que efetivamente saíram e entraram na sua conta ? Vc poderia esclarecer ?
    Obrigado !

    • Olá Michel, por exemplo, se a cota de determinado fundo está em R$ 2,14, a taxa de administração já está incluída nesse valor, nada, além do IR, é cobrado depois. Abraço.

      • Entendi ! Só outra dúvida rápida para complementar: se vc tivesse feito esses investimentos e resgates exatamente nas mesmas datas só que diretamente nas ações da Vale e da Petrobrás ao invés de nos Fundos de Ações, a rentabilidade líquida teria sido um pouco maior, apesar dos custos com custódia e corretagem ?
        Obrigado e parabéns pelo site !

        • Em ações o preço varia dentro do próprio dia, portanto dependeria do preço de compra e venda. Corretagem e custódia variam de corretora para corretora, difícil realizar esse cálculo. Abraço.

  8. Olá Valter, quando irá postar o 4º episódio de aportes pessoais em fundos de ações?

  9. Caro Valter, excelente o seu site, bem didático. Você recomendaria algum outro site ou blog para aqueles que pretendem estudar o investimento em fundos de ações. Há algum site para auxiliar na análise técnica desses fundos? Abraço.

  10. Valter Estou aplicando quase da mesma forma que voce porem resgatando somente o valor que ganhei.

  11. Valter, sou marinheiro de primeira viagem, mas na fórmula para determinar a valorização líquida da aplicação, além da taxa de 15 % não seria correto também colocar o índice de inflação do período em que durou a aplicação?

    • Olá Oliver, para determinar a valorização líquida não. A rentabilidade líquida de um investimento é tudo que ele rendeu menos as deduções. Utiliza-se a inflação para determinação da rentabilidade real (fórmula de Fisher), independente de qual seja o investimento. Abraço.

  12. Olá Valter !
    Não podemos pensar em investir sem ler seus artigos. Parabéns!!!

  13. Bom dia Valter!

    Alguma previsão de quando sai o próximo episódio? Estou ansioso pelos resultados e pela matéria completa com a estratégia. Principalmente no que tange a análise de quando investir em certos fundos.

    Grande abraço!

    Gabriel.

    • Olá Gabriel, devo publicar nos próximos dias um material explicando como fazer investimentos em ações, na prática. Mais adiante mostrarei com utilizar a mesma estratégia investindo em ações e, no final, um completo com a estratégia.

  14. Olá Valter! Bem interessante sua forma de investir em fundos no curto prazo. Contudo, não seria mais interessante no médio prazo? Já que no curto prazo o dinheiro fica parado mais de 4 dias quando se pede o resgate. Se acompanhado pelos gráficos de tendência da análise técnica, as tendências de baixa e de queda das ações, ao meu ver é mais interessante no médio prazo manter as aplicações até a tendência de alta (ganhando os lucros) e retirar na tendência de queda (para compensar os 4 dias do resgate do valor). E em uma nova mudança de tendência fazer novos investimentos. O que você acha?

    • Olá Moisés, a estratégia também funciona bem no médio prazo. Utilizo os fundos de ações dentro de uma estratégia maior, portanto, não é uma aplicação isolada. O prazo que permaneço com a aplicação depende de outros fatores que envolvem outros investimentos. Encaixado dentro da estratégia, não fico com o dinheiro “parado” nos 4 dias de resgate. Quando conseguir produzir o material completo explicarei melhor. Abraço.

      • Esse material que você está produzindo está sendo bastante aguardado. Esperamos que você consiga um tempinho para desenvolvê-lo. Rsrs. Abraço!

  15. Bom dia! Xará tb me chamo Walter, muito obrigado pelo seu blog e pelas sua estratégia explicada á nos muito boa mesmo eu tb aguardo o material que vc ´ira postar nos disponibiilizar valeu mesmo xará e um muito obrigado pela iniciativa srrssrrs abraço!

  16. Valter, Boa tarde!
    Seus textos clarearam bastante as minhas expectativas, porém, gostaria de tirar uma dúvida: após a aplicação, onde vc acompanha o sobe e desce da cotação. Ex: aplico 200 no fundo da Petrobras pelo site do Bb, mas não sei o valor que se encontra a cota e nem sei onde encontrar esses valores pois no site não informa.

    Agradeço desde já a atenção

  17. Acho que errei no termo “ação”, como o proprio dividendo midcaps é D+0, ou mesmo utilizando o exemplo da Petrobras, se eu comprar R$200,00 no dia de hoje a 3,84, será calculado pra mim no valor da cota de amanhã certo? Porém o valor das cotas sai de noite, então teoricamente esse “3,84” é o valor de ontem (31/05). Então nao sei exatamente qual estou comprando, até porque demora um pouco pra cair na conta e aparecer no aplicativo do banco em si …
    Obrigado

    • O erro foi meu, desculpe o engano, o Midcaps realmente é D+0, o valor da cota só é publicado após o fechamento do mercado, como o limite de horário de aplicação é às 15:00, por exemplo, aplicando no dia 01/01 até as três horas, você só ficará sabendo a cota efetiva da sua aplicação no final do dia, após o fechamento do mercado. Esse será o valor a ser considerado para cálculo.
      Dessa forma, antes do fechamento do mercado, o valor da cota ao qual você tem acesso é o de “ontem”.
      No caso do D+1 (Petro por exemplo), aplicando até o limite do horário de hoje, o valor efetivo da cota da minha aplicação só será conhecido “amanhã”, após o fechamento do mercado.

  18. Bom dia, não sei onde foi meu comentário, mas gostaria de saber em relação ao dia da cota, pois elas contam apenas a noite. Obrigado

    • O erro foi meu Andrei, desculpe o engano, o Midcaps realmente é D+0, o valor da cota só é publicado após o fechamento do mercado, como o limite de horário de aplicação é às 15:00, por exemplo, aplicando no dia 01/01 até as três horas, você só ficará sabendo a cota efetiva da sua aplicação no final do dia, após o fechamento do mercado. Esse será o valor a ser considerado para cálculo.
      Dessa forma, antes do fechamento do mercado, o valor da cota ao qual você tem acesso é o de “ontem”.
      No caso do D+1 (Petro por exemplo), aplicando até o limite do horário de hoje, o valor efetivo da cota da minha aplicação só será conhecido “amanhã”, após o fechamento do mercado.

      • Então basicamente o da Petrobrás eu invisto vendo a cota de “ontem” e saberei realmente o valor da cota de “amanhã a noite”? … Que é realmente o valor que comprei

        • Sim, é isso mesmo, por ser “d+1”, você compra a cota de “amanhã”. Abraço.

          • O mesmo vale para o resgate. Se eu solicitar o resgate hoje, não saberei qual o valor da cota, correto? Apenas após a solicitação?

            Existe alguma estratégia para estimar esse valor, alguma informação no site do banco ou algo assim?

            Abs,

          • Sim Edmundo, em fundos D+1, também no resgate o valor da cota de efetivação é a do dia seguinte, não há como saber antes. Abraço.

  19. Prezado Valter,

    agradeço pela iniciativa de publicar essas informações. estou iniciando agora o ramo de investimentos e essas informações me auxiliaram bastante. Tenho apenas algumas dúvidas que gostaria de tirar com você, se possível.

    Primeiro, os fundos refletem comportamentos aproximados das ações na bolsa? Ou seja, se eu fizer uma análise mais detalhada da ação na bolsa, tenho um reflexo similar no fundo de investimento?

    Quando temos fundos de investimentos aplicados em ações específicas, como no caso da Petrobrás e da Vale, podemos acompanhar o andamento das ações na bolsa e ter uma estimativa de crescimento ou de queda, dependendo de vários fatores. Porém, nos casos do Midcaps (o primeiro fundo que você investiu), como eu posso saber em quais ações o banco tem investido para estimar o comportamento dessas ações?

    Agradeço desde já.

    Abs,

    • Olá Edmundo, sim, o valor das cotas do fundo segue a mesma tendência das ações da determinada ação, como Petrobras e Vale. Se as ações das empresas subirem, as cotas do fundo também vão. Em relação a fundos que investem em mais de uma ação, como o Midcaps, a análise é um pouco mais complexa. Abraço.

Wordpress SEO Plugin by SEOPressor